domingo, 18 de junho de 2017

Da dor

Foto de As Minhas Pequenas Coisas.

Tenho 28 anos e só me recordo da queda da ponte de Entre-os-Rios (59 mortos) e das cheias na Madeira (43 mortos) no que toca a dramas desta dimensão. 

Uma pessoa nem acredita em tamanha dor. Não há palavras para tamanha tragédia. 

14 comentários:

  1. Resta-nos apenas o silêncio...e um sentimento de profundo respeito. :(

    ResponderEliminar
  2. Ainda estou em choque. Nem consigo imaginar tamanho sofrimento.

    ResponderEliminar
  3. É mesmo terrível. Eu nem imagino... nem quero se quer pensar que algo do genero poderá abater-se no local onde vivo :(

    ResponderEliminar
  4. É uma dor de alma tão grande. E aquele sentimento de impotência :(

    ResponderEliminar
  5. Sou da Madeira e isto está a fazer-me tanta mas tanta confusão. O 20 de Fevereiro foi terrível mas o desespero dos incêndios do ano passado também foi muito triste e desesperante.
    Desejo a maior força a todas aquelas pessoas e aos bombeiros que fazem de TUDO para conseguir chegar a toda a gente.
    Beijinho, S* (o seu filhote é lindooo! Tudo de bom)

    M.

    ResponderEliminar
  6. Mesmo! Não consigo parar de pensar nestas pessoas...Meu Deus...

    ResponderEliminar
  7. Uma tragédia...nem é bom pensar no sofrimento daquela gente...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  8. Também me lembro desses acontecimentos, bem como o grande incêndio da Madeira o ano passado :/ E triste, E o pior é que nem podemos culpar praticamente ninguém pois são coisas que não podemos controlar :/

    ResponderEliminar
  9. Não há palavras mesmo. Principalmente porque continuamos a achar que o aquecimento global não existe e que não somos nós os culpados daquelas mortes

    ResponderEliminar
  10. São dores inimagináveis. A perda de entes queridos é sempre uma amálgama difícil de digerir. E em casos tão trágicos, parece-me ser pior ainda.

    ResponderEliminar
  11. O cenário negro que temos vindo a acompanhar é simplesmente desolador. De facto, não há palavras.

    ResponderEliminar