sexta-feira, 28 de abril de 2017

Sobre o jogo Baleia Azul


O jogo "Baleia Azul", que estimula a automutilação e o suicídio, está a instalar-se no nosso país, depois de ter nascido na Rússia e já se ter espalhado por países como Brasil, França, Inglaterra, Roménia e Espanha.

Sinceramente, não sei o que é mais triste... 

Se saber que há tanto jovem infeliz e com evidentes problemas afectivos, emocionais (ou outros) ao ponto de optar por uma tristeza de jogo como este... Se o facto de haver "mentores", que não passam de criminosos camuflados, que "aliciam, acompanham, coagem e ameaçam os jogadores mais recentes até ao desafio final" [in JN] - o suicídio. Em Portugal já foram descobertos dois casos deste jogo, de dois jovens que ficaram feridos.

Quando eu achava que a loucura do mundo não me podia surpreender, surge este jogo, que é absolutamente doentio, macabro, insano... Só espero que os pais deste país estejam muito atentos aos sinais. 

Como diz a peça do Jornal de Notícias, "cinco desafios que pode detetar em alguém":


1. "Corta o braço com uma lâmina, três cortes grandes, mas é preciso ser sobre as veias e o corte não precisa de ser muito profundo, envia a foto para o mentor, e seguirás para o próximo nível".

2. "Na tua rede social, escreve "#i_am_whale" no teu estado do VKontakte (rede social russa) ou no Facebook. O texto significa "Eu sou uma baleia".

3. "Assiste a filmes de terror e psicadélicos às 4.20 da manhã, mas não pode ser qualquer filme, o mentor indicará, lembrando que ele fará perguntas sobre as cenas, pois ele quer saber realmente se os viste".

4. "Ouve as músicas que os mentores te enviarem".

5. "Com uma navalha, escreve a sigla F57 na palma da mão e em seguida envia uma foto para o mentor".

28 comentários:

  1. Ouvi hoje falar disso pela primeira vez e fiquei chocada...

    ResponderEliminar
  2. Tanta loucura e estupidez neste mundo. Pais ausentes e negligentes nao faltam tambem...

    ResponderEliminar
  3. A mim chocou-me a notícia e chocou-me ler os comentários das pessoas à notícia! Enfim. Também li que quando tentam desistir do jogo, são ameaçados =\ essas idades são as idades em que gostam de experimentar tudo o que é parvoíce, às tantas nem têm intenção de ir até ao fim... enfim, não sei. Só espero que não a moda não dure muito

    ResponderEliminar
  4. É assustador a forma como estes "mentores" se aproveitam das fragilidades dos jovens para os manipularem e levarem-nos a cometer tais loucuras. Como disseste, e bem, isto é MACABRO.Jogos destes tomarem estas proporções é absolutamente assustador... Daniela Torres

    ResponderEliminar
  5. Também já li sobre isso e revolve-me o estômago... é tão deprimente.

    ResponderEliminar
  6. Também li o artigo e é completamente ridículo! Tenho penas das pessoas frágeis que alinham nesta parvoeira mas as que inventaram esta estupidez devem ser genuinamente maldosas e mentalmente perturbadas.

    ResponderEliminar
  7. Os "mentores" são quem? Pessoas muito doentes ou psicopatas autênticos.
    Dá a vontade de dizer a esses mentores "a ideia do jogo é muito interessante mas faz lá isso tu primeiro que depois a gente fala".
    É que incentivar o suicidio dos outros é crime mas além disso é cobardia e uma estupidez imensa.

    ResponderEliminar
  8. Este mundo está perdido...não sei o que se passa na cabeças das pessoas.... mas para aderirem a um jogo destes, só podem ter algum problema...

    Isabel Sá
    Brilhos da Moda

    ResponderEliminar
  9. Quando pensamos que já nada nos surpreende... aparecem estas situações. E os culpados são tantos. Ainda bem que se denuncia esta coisa macabra nas redes sociais nos blogs e na televisão.

    ResponderEliminar
  10. Já falei desse jogo no blog. O problema não é ele. Ele não é a raiz nem a causa. Apenas um sintoma.
    Fiquei triste em saber que o jogo chegou em terras portuguesas.
    Bom final de semana!

    Até mais,
    Emerson Garcia

    Jovem Jornalista
    Fanpage
    Instagram

    ResponderEliminar
  11. Não há limites para o quanto este mundo pode afundar... :/

    ResponderEliminar
  12. É preciso estar muito perturbado para se embarcar num "jogo" destes. O meu filho, adolescente de 14 anos, desatou a rir e a chamar de ridiculos os desafios (e pelo que percebi pela conversa, é a opinião geral dos amigos dele). Portanto, o que me espanta verdadeiramente, é que os pais não percebam que os seus filhos estejam tão frágeis, ao ponto de enveredar por um caminho assim.

    Anac

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. As pessoas passam por circunstâncias diferentes. O mesmo se pode dizer como é que os professores ou colegas não se apercebem? A maioria passa mais tempo com estes adolescentes do que os pais.
      Acho que é um sintoma da nossa sociedade, infelizmente. Eu passei por uma grande depressão e tive ideias suicidas durante a minha adolescência sem os meus pais sequer imaginarem isso. Trabalham os 2 muitas horas. O que aconteceu no meu caso foi 5 anos de bullying por parte de colegas com professores a abafar o caso porque quem o fazia era filho de professor. A minha vida mudou quando finalmente mudei de escola e de colegas.

      A questão é: os meus pais não sabiam porque eu não os queria preocupar mas os professores sabiam e optaram por ignorar porque afinal não se ia colocar em causa os filhinhos de alguns professores. Hoje em dia, esses viraram para a carreira que só poderia dar: drogados e/ou criminosos. Afinal os professores que os protegeram não fizeram favor nenhum a ninguém: nem a mim e a outras vítimas deles como nem a esses jovens.

      Eliminar
    2. O meu filho também passou por uma situação de bullying, também com filhinhos de professores que eram sempre protegidos pela escola, e eu percebi. Bastava ver a forma como os miudos o tratavam quando nos cruzavamos com eles na rua para perceber... de qualquer forma, o meu filho tem suficiente "à vontade" para falar comigo seja sobre o que for. Eu tenho muita pena, e até percebo que neste aspecto o facto de ter sido mãe muito nova pode me ajudar, mas os pais muitas vezes estão cegos pelo trabalho pelo cansaço pela falta de tempo e de afinidade com os filhos, e não vêem o que deveriam ver. E isto faz-me muita confusão. Os meus pais também eram completamente cegos para mim, daí ter sido mãe tão nova, e de fazer questão de manter a nossa relação mãe-filho, o mais aberta e sincera possivel. É claro que não sei de tudo, até ha coisas que prefiro nao saber, mas no essencial, ele sabe que eu estou aqui para ajudar sem julgamentos.

      Anac

      Eliminar
  13. Infelizmente há muita gente doente por esse Mundo fora. Pior é saber que há jovens mais sensíveis, medonhos, solitários, que facilmente entram em jogos e maus caminhos do género. Triste e preocupante!

    ResponderEliminar
  14. Começo a não saber que mundo é este em que vivemos :(

    ResponderEliminar
  15. Estou agora a tomar conhecimento deste "jogo". Ainda não li muito mais sobre isto mas, acima de tudo, temos que tentar resolver o problema nas nossas casas, com os nossos filhos. Assusta-me saber que há jovem tão solitários e perturbados que alinhem nestas coisas. Isso assusta-me mais do que o facto de terem criado o jogo. Se um maluquinho se lembra de inventar uma parvoíce perigosa já é mau, saber que existem muitos jovens a embarcar nisso é muito chocante e preocupante.
    Não sou ninguém para julgar esses pais, também já fui adolescente e fiz coisas muito idiotas (felizmente nenhuma dessas parvoíces por influência de terceiros, eu fazia questão de fazer apenas as parvoíces que a minha mente ditava) e tenho muita pena mesmo dos jovens que andam tão perdidos que adiram a isso. Não acho que sejam idiotas ou burros, é mais complicado que isso...

    ResponderEliminar
  16. O mundo de hoje em dia assusta-me e visto que tenho uma prima dentro das idades que mais têm vindo à baila neste jogo tenho estado extremamente atenta. Nunca se sabe quando nos bate à porta.

    ResponderEliminar
  17. Na Moldavia, um casal suicidou-se de maos dadas e atatos com fita cola. Subirao para um predio de 18 andares e atirarao-se. ..😐😯
    13 e 14 anos tinhao.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bem, um pouco mais de atenção a esses erros ortográficos, se faz favor.

      Eliminar
  18. Pergunto eu que não percebo muito destas coisas. Não há forma de este jogo ser bloqueado por quem de direito? Será preciso chegarem a fase final, haver mortes , para depois agirem?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ana Soares, não há um "sítio de jogo" propriamente dito... creio eu!

      Eliminar
  19. Tanta loucura e tanta estupidez meu Deus . .

    ResponderEliminar
  20. Não há ainda nenhuma evidência de que os casos portugueses estejam efectivamente ligados ao jogo. Apenas suspeitas. Como jornalista, devias saber isto e ter cuidado antes de escrever um texto tão taxativo. O assunto é preocupante e não deve ser estimulado através do alarme público.

    ResponderEliminar
  21. Estive a ler os 50 desafios deste jogo e não entendo. Como pode alguém, perante a proposta de se mutilar, dizer sim sem hesitar? Não entendo!

    ResponderEliminar