segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

Óscares 2017


Resultado de imagem para manchester by the sea

Só tenho duas coisas a dizer:

- Vi o "Manchester by the sea" e achei o filme muito mal aproveitado. História forte, desenvolvimento 'poucochinho'. O Casey Affleck, de facto, fez um grande papel. Como não vi todos os filmes, não posso dizer que foi o melhor actor, mas posso garantir que é um excelente actor.

- "O Vendedor", do iraniano Asghar Farhadi, foi escolhido para melhor filme estrangeiro. Estive a vê-lo no Sábado à noite e - admitindo que o defeito pode ser meu - achei uma seca descomunal. Nem percebi bem a lógica da coisa. Não, não posso acreditar que este tenha sido o melhor filme estrangeiro.

Resultado de imagem para o vendedor asghar farhadi

Eu nem vou comentar a barracada dos Óscares, que sofro de 'vergonha alheia' e até desvio o olhar ao ver o momento. Nem vale a pena bater no ceguinho.

domingo, 26 de fevereiro de 2017

Cada um é como cada qual...


Se o meu bebé podia ser um daqueles bebés elegantes e que têm um quarto muito branco e simples? Podia, mas não corresponderia à mãe que tem.

Por aqui vai reinar um mundo de ursos, bonecos variados e detalhes de cores garridas. É assim que eu sou. Gosto de ver o meu mundo pintado de cor e só peço a Deus para ter um filhote alegre e risonho como a mãe - mas com a inteligência e o carácter vincado do pai, que é mais sisudo, mas é o melhor do mundo.

Fui presenteada pela Sofia, que ofereceu a fralda mais bonita e um babete todo amoroso.

Últimas conquistas cá de casa: almofadas feitas pela senhora minha mãe; cobertura para almofada de amamentação feita pela mesma senhora. Peluche do Ratinho Mickey.

Família de ursos: pantufas para eu usar na maternidade e para ele usar nos primeiros meses.


sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Cinco meses e meio!


A brincar, a brincar, já vamos com quase 6 meses de gravidez.

Não sou daqueles grávidas super-mega entusiasmadas e que não pensam em mais nada... O que certamente também é ajudado pelo facto de não ter grandes sintomas de gravidez e ainda não sentir o meu Rafael com regularidade e intensidade.

No entanto, como pessoa organizada que sou, tenho andado a preparar tudo com tempo. Já comprei muita coisa, falta-me ainda muito mais. Felizmente as coisas 'grandes' já temos, mas faltam muitos detalhes, muitos produtos de higiene e roupinha para os primeiros tempos (não estou a contar com a que vou herdar, que era do meu sobrinho).

Se por um lado me parece que o tempo não avança (estamos ansiosos por conhecer o pequenote...), por outro lado fico chocada quando penso que só faltam três meses e meio. Como?? Já?

Ando cheia de trabalho, muito ocupada, o que me ajuda a distrair e a não viver fixada nas semanas que faltam... Mas tenho a sorte de ter uma gravidez absurdamente santa, sem chatices, sem problemas de maior.

Nesta Primavera antecipada, apesar de a vida profissional andar uma confusão louca, só consigo sentir-me abençoada. Estou muito feliz. Sou feliz.

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

Grendha, I love you!

No ano passado comprei o meu segundo par de sandálias Ipanema. Pretas, com um lacinho, muito femininas e super confortáveis. Apesar de a sola ser fina, é muitoooo resistente, sem dúvida que é o meu calçado de Verão favorito - ultrapassou o estilo Birkenstock. Já tinha tido outras, azuis, durante uns quatro ou cinco anos, que só foram para o lixo porque estava a perder a cor azul-céu, embora continuassem com a mesma sola impecável.

Sinceramente, acho que as Grendha e Ipanema têm uma relação fabulosa entre a qualidade e o preço - julgo que são do mesmo grupo. Rondam os 25/30 euros, são lindas, práticas, óptimas para ir à praia, lavam-se facilmente, não têm qualquer cheiro (ao contrário do calçado de plástico sem qualidade...). Este ano vou comprar dois pares, mal as comece a ver nas lojas, até porque uma grávida com má circulação - como eu - precisa mesmo de arejar os pés.

Gostei de todas estas da Grendha, daqui:


Grace Sandal Fem, € 24,95

Jewel Sandal Fem, € 24,95 
Babei!!!


Jewel Sandal Fem, € 21,95

Majestade Sandal Fem, € 34,95


  Romantic Sandal Fem, € 22,95

Unique II Sandal Fem, € 27,95

terça-feira, 21 de fevereiro de 2017

Mangas e bebés!



Estamos de 23 semanas. Diz que o bebé é mais ou menos assim, com o peso de uma manga!

Continuo fresca que nem uma alface, sem sintomas de destaque - apenas dores de costas em alguns dias. Mais volumosa, muito mais feliz!

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

Odiozinho de estimação


Malta que tem cães, que leva os cães a fazer as necessidades à rua (pois, claro!) mas que se põe a assobiar para o lado na altura de apanhar as trufas dos seus meninos.

Quem diz assobiar para o lado, diz mandar um mensagem de telemóvel ou até mesmo fingir que não se viu. Os que têm mais lata nem sequer disfarçam, mesmo que a trufa seja feita no meio do passeio, a um metro de distância.

Juro que não consigo entender. Os jardins estão uma badalhoquice porque os donos dos cães não assumem as suas responsabilidades. Evidentemente que não podem ser os animais a fazê-lo. 

sábado, 18 de fevereiro de 2017

Odeio pobri!

Foto de As Minhas Pequenas Coisas.

Tão eu! E não tive de passar a ser mãe para ser assim.

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

Maravilhas da maternidade #4


O que fazer quando não te apetece comer absolutamente nada do que cozinhas e quando o teu companheiro tem tanto jeito para a culinária como eu tenho para a costura?

Que fastio, senhores. Até a sopa - que eu adoro - me anda a incomodar.

Era tão feliz se tivesse de comer só torradinhas e tostas de queijo. Ou se o jantar aparecesse feito. Ou se tivesse possibilidades de ir fazer todas as refeições fora!

quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

"Amigo aprendiz"

Foto de As Minhas Pequenas Coisas.

Eu não conhecia este poema. De alguma forma, a minha irmã ficou a conhecê-lo e mandou fazer um quadro para o quarto do meu filhote, com o início do poema - não está completo.

Está já pendurado no quarto do Rafael, bem na entrada, que é para poder lê-lo todos os dias.

Ontem, durante uma pesquisa, descobri que a canção "Amigo aprendiz", interpretada por Rodrigo Costa Félix, foi seleccionada pela revista norte-americana "The Atlantic" como uma das doze melhores baladas do ano de 2012.

Eu não sei quanto a vocês, mas esta música deixou-me chorosa.

terça-feira, 14 de fevereiro de 2017

JAP, o grupo de apoio!


Resultado de imagem para placard

Por mais que me custe admitir, está na altura de criarmos o JAP - Jogadores Anónimos do Placard.

Eu não queria trazer este assunto para aqui, mas vai ter de ser.

O mais-que-tudo agora resolveu ficar viciado no Placard. Começou pelo Euromilhões. Depois passou ao Totobola. Conseguiu ganhar um prémio (nunca tinha ganho sequer 2 euros...) e resolveu que, afinal, o Totobola não vale nada porque os prémios são fracos. Vai daí, agora resolveu apostar no Placard.

Mas ó meus amigos... O Placard é todo um mundo de aposta desportiva. Ele já instalou uma aplicação no telemóvel. Ele dormiu esta noite no sofá, a pensar nas 1001 apostas que poderia fazer. O Benfica ganha, empata ou perde com o Dortmund? Eu, claro, apostava na vitória do glorioso, mas ele recusa fazer semelhante.

E o PSG, esse vai perder com o Barcelona, certo?

Podia resumir-se a isto. Mas não. Ele quer apostar na segunda divisão da liga inglesa. Ele até anda a ver os joguinhos mais pequenos da liga italiana. E ténis, pelos vistos o nosso João Sousa joga hoje.

Podia ter um companheiro que leva estas coisas dos jogos na desportiva. Mas nãoooo. Ele dramatiza tudo. Ele faz um filme imenso para apostar 2 ou 5 euros. Ele passou o pequeno-almoço amarrado ao telemóvel. Até já descobriu que existem grupos secretos onde se paga para debater estas questões fundamentais da vida.

Estou tramada, é o que é.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2017

Insta last days

Os meus rapazes.

Blackie a dar um ar de sua graça... raro!

Tentativa de passeio no Domingo de manhã. Correu mal.

Domingo de muitoooo sono.

Cada vez tenho menos casacos. Já só me servem (bem) o casaco que a minha irmã me deu e esta capa (lindona) que roubei do armário da mana.

Boa semana!


domingo, 12 de fevereiro de 2017

Bom...


É sempre um risco deixar uma mulher sozinha num Domingo à noite. Ele foi ao futebol, eu estou aqui, mas estou a pensar em comer um saco inteiro de Cadbury Fruit & Nuts. 

Resultado de imagem para cadbury fruit and nut

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Namorados forretas

É todo um drama. Hoje, ao passar os olhos nas sugestões de roupa da Pipoca para o Dia dos Namorados, fiquei estupefacta com um comentário que dizia "Pipoca! Preciso de ajuda! O que fazer quando o esposo não dá prendas?!!? Anos/Natal/Dia dos Namoradas Nada de Nada! Fora o resto! Jantar fora.... viajar.... sair................ Pipoca!! O gajo tem tudo só é um mãos de vaca -.- Há 7 anos neste sofrimento!!".

Eu já tive uma amiga que vivia com este drama. O namorado era um forreta do pior, que não lhe pagava nem um café e que achava que irem para uma festa com 2 euros no bolso era uma coisa absolutamente normal e que uma simples moeda 'chegava e sobrava'.

Vamos por partes: eu não acho que os homens tenham de nos pagar nada. No entanto, gosto de cavalheirismo e gosto que, na fase da sedução, exista aquela delicadeza de se oferecerem para pagar algo, de vez em quando. Assim como nós podemos pagar algo, de quando em vez. Também passei por essa fase, numa altura em que tinha mais dinheiro e gostava de 'nos' mimar.

Como vivo em união de facto há mais de cinco anos e sou a 'gestora do lar', essa questão deixou de se colocar. Só temos uma conta bancária, cada um com o seu cartão. Fazemos as despesas que entendemos e apenas 'anunciamos' ao outro que levantamos dinheiro ou que pusemos combustível porque os tempos não são de fartura e uma pessoa tem de saber como andam as finanças. Também não temos mordomias na altura de pagar o almoço ou o jantar, porque o dinheiro é dos dois. 

No entanto, no nosso primeiro encontro, o meu rapaz conseguiu cometer a proeza de ir comigo ao Mcdonald's e não me pagar o Big Tasty. Uma grosseria, na verdade. No entanto, foi desculpado, porque nos tínhamos conhecido uma hora antes ao vivo (já vos disse que nos conhecemos no Facebook?) e, apesar de estarmos interessados um no outro, fingíamos que era só na onda da amizade. Depois, no segundo encontro, como já me estava oficialmente a 'fazer-me a corte', pagou a despesa. Quanto mais não seja, ele trabalhava e eu era uma estudante de mestrado sem trabalho, pelo que me parece normal ele ter pago.

Ah e tal, há quem diga que isto são coisas do 'antigamente', mas eu gosto destas gentilezas. Lamenta-se. Fui educada numa família em que as mulheres é que cuidam das finanças da casa, mas gosto que sejam cavalheiros comigo.

Não consigo sequer imaginar viver com uma pessoa forreta. Não tenho um homem propriamente romântico e que me compre prendas sem motivo, mas tenho um companheiro que faz um esforço por me comprar as prendas certas nas datas especiais. A primeira prenda que ele me comprou foi no meu aniversário, cerca de três semanas depois de começarmos a namorar... E o desgraçado conseguiu comprar-me um conjunto de luvas + cachecol de homem. De homem. Eu sorri e fingi que não reparei... Agora já me compra coisas que batem certo com os meus gostos, pelo que não me posso queixar. Tem sido sempre a melhorar.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

A felicidade mora aqui!

Mora nos melhores croissants mistos da cidade, no Manelzinho Natário.

Mora na amizade entre os meus patudos.

Mora também no espectáculo do Luís Franco-Bastos, que me fez chorar de tanto rir.

Mora ainda na cumplicidade com estes peludos...

Ui, mora e muito nos chocolates que a minha irmã me trouxe de Londres.

E a felicidade multiplica-se de imaginar o Pirata e o Rafael em modo matchy-matchy. Maravilhoso body Gap, que a mana me trouxe.

Boa sexta-feira!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

Pensando no parto


Como já disse 1001 vezes, sou toda despachada e relaxada e, apesar dos 5 meses de gravidez, nem sequer me lembro do parto (enquanto momento de dor, ansiedade... felicidade). Na altura irei, muito provavelmente, encher-me de nervos, mas por agora nem sequer penso nesse assunto.

Nem sequer equaciono cesariana, apesar de o mais-que-tudo parecer ser um grande defensor da mesma. Para mim, não faz sentido. Não sendo radical, acredito que o natural é o natural e que, se puder fazer o natural, é o que irei fazer. É o que a mãe natureza 'desenhou' para nós, mas conto com a ajuda da santa epidural. Vai daí, quero amamentar, quero parto 'normal', quero tudo o que já existe desde que o ser humano existe. Se tiver de fazer cesariana, encantada da vida. Se tiver de dar de mamar leite em pó, encantada também. Não stresso com essas coisas, embora tenha um modo 'preferencial' de ver as coisas a acontecer. Cada casal sabe de si e Deus sabe de todos. Não me meto nas opções dos outros, mas também não deixo que se metam nas minhas.

A opção natural também seria, parece-me 'normal', o pai estar presente no parto. Nem sequer falamos muito sobre esse assunto, até que o mais-que-tudo resolveu assumir que acha que não consegue estar presente na sala de partos. Eu entendo-o. Ele é muito nervoso, muito ansioso, entra em modo 'pânico' por tudo e por nada. Embora gostasse de o ter comigo, desconfio que ele só iria contribuir para um colapso do meu sistema nervoso. Vai daí, por agora, a opção parece ser ter a minha mãe comigo. Ela é calma, ela já passou pela experiência.

Por agora, decide a razão. Na altura, será como o nosso coração nos mandar.


terça-feira, 7 de fevereiro de 2017

Uma cadela portuguesa, com certeza!

A minha irmã foi viajar e deixou-me a encomenda da cadela Rosinha. Bem tentei que ela ficasse a dormir no quartinho dos animais, com o primo Pirata, mas depois de 15 minutos de choro intenso lá os deixamos vir para o quarto (o choro era dela...).

Depois de uma noite infernal com os dois patudos (e a gata Evita!), Madame La Rose achou que era genial passar a manhã inteira a chorar.

Eu no banho, ela deixada no tapete-seca-pés a chorar. Eu a secar o cabelo, ela a chorar. Eu a vestir-me, ela a chorar. Levei-a à rua, pensei que podia estar aflita, mas nãooooo. Só serviu para encher de ciúmes o Pirata, porque a aflição dela é outra.

Uma cadela bem portuguesa, está cheia de saudades dos donos.

segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Está quase!

Foto de As Minhas Pequenas Coisas.

Furos feitos, tudo o que é quadro/prateleira/espelho já tem o seu lugar definido. Agora falta esperar pelas mini-férias do Carnaval para o pai se armar em pintor e mudar a cor do quarto. 

sábado, 4 de fevereiro de 2017

Chegou, viu e venceu!


Quando conheci o meu companheiro, conheci-o como fumador. Fumou mais de metade da sua vida. Nos últimos tempos, provavelmente por causa dos stresses da vida, andava a fumar mais e Deus sabe como isso me mexia com os nervos... Eu tinha a atitude (parva) de o tentar pressionar a deixar de fumar, mas obviamente isso não resultava e só gerava zangas entre nós.

No entanto, o rei Rafael chegou, viu e venceu. Uma semana depois de sabermos que íamos ser pais, mais-que-tudo decidiu deixar de fumar. Limitou-se a comunicar-me. Na primeira tentativa, desistiu ao fim de menos de 24 horas. No dia seguinte voltou a tentar e já lá vão quase quatro meses sem fumar. O que não dá o amor de um pai por um filho. :)


sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Prevendo o futuro...


Consigo prever que o mais-que-tudo vai ser o pai mais protector e mais permissivo do mundo. Tendo em conta o (bom) feitio do pai, está fácil de prever que o bebé nunca vai ouvir um raspanete nem levar uma palmada do lado masculino da força.

Se dúvidas houvesse... Bom... Ele esconde-me as 'mijinhas' que o cão vai fazendo (felizmente pouco regulares). Soube hoje que há duas noites o cão resolveu levantar-se e, sem pedir para ir à rua, urinou na sala. Estava de chuva, não lhe apeteceu sair, então fez em casa. 

E o dono, o que fez? Encobriu-o.

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

Dúvidas da vida


A vida nem sempre é justa, é um facto. As coisas nem sempre estão fáceis, é outro facto. No entanto, a insatisfação que temos com a vida não pode - nunca, em momento algum - ser justificação para tentarmos prejudicar de forma deliberada quem nunca nos fez mal e quem até acreditava que era nosso amigo. 

Durante quanto tempo podemos manipular os outros, tentar prejudicá-los, virá-los uns contra os outros, tentá-los fazer perder o seu emprego por "pequenas coisas" ou por coisas inventadas... e achar que nada nos acontece? Achar que as pessoas não vão descobrir? 

Durante quanto tempo podemos ser maus e achar que ninguém vai reparar?